A alimentação saudável é fundamental para garantir a saúde, o bom crescimento e o desenvolvimento da criança. Ela também previne doenças e evita deficiências nutricionais, como a anemia.

A Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde e a IBFAN Brasil (Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar-International Baby Food Action Network) elaboraram um material interessante para auxiliar nessa questão:

PASSO 1
Dê somente leite materno até os 6 meses, sem oferecer água, chás ou qualquer outro.
“Mamãe: antes dos seis meses, não ofereça complementos ao leite materno. O leite materno é tudo que a criança precisa.”

PASSO 2
A partir dos 6 meses, introduza de forma lenta e gradual outros alimentos, mantendo o leite materno até os dois anos de idade ou mais.
“Mamãe: para que o bebê continue crescendo bem, a partir dos seis meses, ele necessita receber outros alimentos além do leite materno.”

PASSO 3
Após os 6 meses, dar alimentos complementares (cereais, tubérculos, carnes, leguminosas, frutas e legumes) três vezes ao dia, se a criança estiver em aleitamento materno.
“Mamãe: a alimentação oferecida ao bebê, depois dos seis meses, deve ser composta de grãos (cereais e feijões), carnes, frutas e verduras.”

PASSO 4
A alimentação complementar deve ser oferecida de acordo com os horários de refeição da família, em intervalos regulares e de forma a respeitar o apetite da criança.
“Mamãe: o bebê deve receber alimentos quando demonstrar fome. Horários rígidos para a oferta de alimentos prejudicam a capacidade da criança de distinguir a sensação de fome e de estar satisfeito após a refeição. No entanto, é importante que o intervalo entre as refeições seja regular (2 a 3 horas).”

PASSO 5
A alimentação complementar deve ser espessa desde o início e oferecida de colher; iniciar com a consistência pastosa (papas/purês) e, gradativamente, aumentar a consistência até chegar à alimentação da família.
“Mamãe: a consistência da alimentação complementar é importante.”

PASSO 6
Ofereça à criança diferentes alimentos durante o dia. Uma alimentação variada é uma alimentação colorida.
“Mamãe: procure oferecer à crianças uma alimentação bem colorida.”

PASSO 7
Estimule o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições.
“Mamãe: a criança que desde cedo come frutas, verduras e legumes variados, recebe maiores quantidades de vitamina, ferro e fibras, além de adquirir hábitos alimentares saudáveis.”

PASSO 8
Evite açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos e outras guloseimas nos primeiros anos de vida. Usar sal com moderação.
“Mamãe: alguns alimentos não devem ser oferecidos à criança pequena porque não são saudáveis, além de tirarem o apetite da criança e competirem com os alimentos nutritivos.”

PASSO 9
Cuide da higiene no preparo e manuseio dos alimentos. É importante garantir seu armazenamento e conservação adequados.
“Mamãe: os cuidados de higiene na preparação e na oferta dos alimentos evitam contaminação e doenças como a diarreia.”

PASSO 10
Estimule a criança doente e convalescente a se alimentar, oferecendo sua alimentação habitual e seus alimentos preferidos, respeitando a sua aceitação.
“Mamãe: a criança doente precisa comer mais para não perder peso e recuperar-se mais rápido. Por isso, é importante manter a amamentação e oferecer os alimentos saudáveis de sua preferência.”

Alimentação saudável: 10 dicas para crianças com até 2 anos

Recomendações às famílias de crianças pequenas com dificuldades na alimentação:
• Separem a refeição em um prato individual para se ter certeza do quanto a criança está realmente ingerindo;
• Estejam presentes junto às refeições, mesmo que a criança já coma sozinha. Ajudem-na se necessário;
• Não apressem a criança. Ela pode comer um pouco, brincar e comer novamente. É necessário ter paciência e bom humor;
• Alimenten a criança assim que ela demonstrar fome. Se a criança esperar muito, pode perder o apetite;
• Não forcem a criança a comer. Isso aumenta o estresse e diminui ainda mais o apetite. As refeições devem ser momentos tranquilos e felizes.

 

Dra. Luana Pinheiro Raymundo é nutricionista, especialista em nutrição materno infantil, mestranda em Nutrição e dietética. Trabalha com gestantes, crianças e adultos desenvolvendo e criando estratégias de ação em Saúde para conter o avanço da prevalência das doenças crônico-degenerativas. É criadora do Nutribrinque, um projeto de educação alimentar e nutricional que, através de metodologias criativas, interativas e lúdicas, tem como objetivo formar hábitos alimentares saudáveis em crianças e jovens.

Site: www.nutribrinque.com.br

Instagram: @luanutri

Facebook: /nutrinfantilluanapinheiro

Deixe um comentário