A ansiedade de ver de perto a chegada de um novo membro na família é muito comum. Porém, algumas curiosidades como descobrir se o recém-nascido é a cara do pai, da mãe ou dos avós, às vezes podem esperar um pouco mais. Tanta coisa pode gerar visitas inoportunas, acompanhadas de comentários indesejados. Vamos ter atenção!

Para alguns pode parecer estranho que pais não permitam visitas nos primeiros dias de vida do bebê, portanto, devemos considerar a sensibilidade do momento em questão. O período pós-parto é uma fase muito delicada, principalmente para a mulher. É um momento de dificuldades perante o desconhecido, fragilidade emocional e hormonal, que necessita de privacidade para uma amamentação tranquila.

O recém-nascido recebe nos primeiros dias de vida apenas duas vacinas: a BCG, contra as formas graves de tuberculose, e a Hepatite B. As demais vacinas que complementam a resistência imunológica do bebê são ofertadas apenas com 2 meses de vida. Dessa forma, é importante ressaltar alguns cuidados durante as visitas ao recém-nascido e sua família.

Em primeiro lugar, não vá se estiver apresentando quadros como febre, sinais de infecção respiratória, tosse, gripe ou resfriado, conjuntivite ou qualquer outra doença infectocontagiosa. Nestes casos é melhor deixar a visita para outra hora.

Também não podemos nos esquecer da higiene! Quando chegar ao local, lave bem as mãos e higienize-as com álcool em gel. Evite ir direto do trabalho ou após ficar um dia todo pela rua. Essa última inclui também os próprios moradores da casa, principalmente possíveis filhos mais velhos que frequentem creche, façam alguma atividade física ou brinquem fora de casa. É preciso que estes tomem um bom banho e troquem a roupa antes do contato com o bebê.

Por enquanto é bom evitar contato e beijos próximos ao rosto e mãos do bebê – que são levadas frequentemente à boca -, pois podemos acabar deixando alguns germes por ali.

Certifique-se que não fumou ou usou perfumes por horas antes da visita. O olfato do bebê é muito sensível e as substancias presentes no cigarro ficam impregnadas nas roupas e nas mãos. Esses resíduos podem ser tão prejudiciais quanto a própria fumaça e podem causar uma série de alergias, além de expor o bebê a maior probabilidade de desenvolver pneumonia, bronquite e rinite.

Avise antes de ir, para não aparecer de surpresa! As visitas precisam ser organizadas para evitar aglomeração, pois além de favorecer contágios e excesso de barulho, pode causar estresse ao bebê e à família.

Coma antes de chegar e evite visitas em horários de refeições. A rotina da família muda com a chegada de um bebê, por isso, dificilmente os pais conseguem realizar refeições completas em seus respectivos horários. Mas, se você é intimo dessa família, uma boa alternativa é preparar uma comida e levar no momento da visita. Nem sempre eles conseguem tempo para cozinhar.

Para demonstrar sua gentileza, não precisa permanecer por horas e horas. O bebê e os pais estão em uma rotina exaustiva e precisam de bastante descanso. A não ser que eles te peçam para ficar. O importante é utilizar do bom senso para não incomodar.

Se você optar por ficar, uma ajudinha na rotina da casa é sempre bem-vinda, ainda mais se você for próximo da família. Se for o caso: mão na massa! Após ver o bebê e parabenizar o casal, você pode ajudar a lavar uma louça, passar uma vassourinha pela casa ou até mesmo estender a roupa que está dentro da máquina.

Se o bebê estiver dormindo, nunca peça a mãe para acordá-lo. O sono do recém-nascido é sagrado. Os pais aguardam ansiosamente que os bebês durmam para que eles também possam descansar ou realizar algumas atividades. Ajude ficando de olho no pequeno para que a mãe ou o pai tomem um banho com tranquilidade ou até mesmo tirem aquela tão esperada soneca.

Não tire fotos se a mãe não autorizar. Mesmo tendo um rostinho muito fofo, o bebê não é um modelo fotográfico. Não sabemos se os pais querem expor o bebê em grupos de WhatsApp ou até mesmo nas redes sociais. Além, é claro, do uso inconveniente dos flashes, que incomodam bastante os nossos pequenos.

Quando a mãe diz que é hora de amamentar, talvez seja hora de dar tchau! Algumas mulheres se sentem constrangidas e preferem amamentar sozinhas, num momento de tranquilidade. O estresse e a irritabilidade da mãe podem interferir diretamente na produção do leite. Também evite conselhos e palpites sobre cuidados e amamentação, pois podem mais atrapalhar que ajudar.

Então, amigos e familiares, controlem a ansiedade um pouquinho, em todos os aspectos! Vejam tudo com muito cuidado e reprogramem a visita, se necessário. O importante é zelar pela segurança do bebê e bem-estar da família!

 

Aline Schunk Baumgarten é graduada em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Realiza monitoramento e ministra cursos de gestantes e oficinas de cuidados com o bebê, amamentação e parto no programa Viver Gestante, da Unimed Vitória. É consultora em primeiros cuidados com recém-nascido e amamentação.

Instagram: @alinesbaumgarten

Facebook: /aline.schunkbaumgarten

Deixe um comentário