Carinhos e histórias que passam de geração em geração

    Em 50 anos, a Pimpolho fez parte da vida de várias pessoas. São histórias que, na maioria das vezes, são secretas, mas que nos enchem de orgulho! Revelamos algumas delas para vocês

    Antes mesmo de se tornar algo concreto – com endereço, com funcionários, com fábrica -, quando ainda era uma sementinha a ser plantada, a Pimpolho já tinha um ideal a ser seguido: criar laços e, através deles, fazer história.

    Se hoje essa semente cresceu e criou raízes fortes, que completaram 50 anos, é porque existem pessoas que acreditam em nossos valores e se propõem, às vezes sem querer, a participar da nossa caminhada. E a partir daí, as trajetórias vão se entrelaçando.

    O Carlos Eduardo, por exemplo. Ele ganhou um sapatinho Pimpolho aos 6 meses de idade e hoje, aos 35 anos, deu seu presente para o sobrinho usar e levar com ele um pouquinho de nós. Contamos a história dele lá no Facebook, lembra? Relatos como esse nos enchem de orgulho e felicidade, pois sabemos que estamos seguindo o caminho certo. E mais que isso. Que cada sentimento bom que colocamos em nossos produtos chegam a várias pessoas e passam de geração em geração.

    Após a publicação do relato de Carlos Eduardo na nossa fapage, recebemos outras tantas histórias. Inundadas de carinho, inundadas de memórias.

    A Thais Giuseppe contou que na sua primeira gravidez, ficou muito ansiosa para descobrir o sexo do bebê. “Quando soube que era uma menina, sai do consultório e passei por uma loja que tinha perto, foi quando avistei um sapatinho rosa lindo. Fiquei namorando ele e fui embora. O tempo passou e não comprei o sapato. Quando ganhei minha filha, uma amiga minha veio me visitar. E justamente trouxe o sapatinho que tanto namorei na loja. O mais engraçado é que eu não havia falado nada com ninguém. Agora, minha segunda filha está com 5 meses e também já usou o mesmo sapatinho que guardo com muito carinho há quase 6 anos”.

    Nossa seguidora no Instagram, @_mommylife contou que há 21 anos, sua mãe descobriu que estava grávida do seu irmão e queria uma forma simples e singela de contar isso aos familiares e amigos. E então, comprou um sapatinho Pimpolho. “Esse calçado já foi passado por quase todos os primos e hoje é minha filha que usa. É um xodozinho da família”.

    E a Neuzinha Gomes? A história dela com a Pimpolho vai fazer 30 anos! Quando ela engravidou da filha Gabriela Almeida, ganhou da mãe o primeiro sapatinho da neném. “Depois dela, mais duas meninas, filhas de amigas minhas, a Julia e a Mariana, também usaram esse sapatinho. E hoje para minha felicidade, a Gabriela é funcionária da Pimpolho”, comemora. Para nós, também é uma alegria ter em nosso quadro uma colaboradora que desde os primeiros passos caminhou com a Pimpolho. Como disse a Gabriela: “Essa história daria um filme”.

    Aliás, todas as histórias dos nossos clientes dariam! E para representar cada um daqueles que não mencionamos aqui, que tal relembrar esse vídeo que fizemos há dois anos, lá no Paraná.