O hábito de escovar os dentes diariamente além de manter o sorriso mais bonito, previne diversas doenças. Iniciar a higiene bucal desde a infância é importante para que a criança mantenha esse hábito também na vida adulta. No entanto, mais da metade dos brasileiros não escovam os dentes corretamente.

Mais importante do que comprar “a melhor escova”, é a maneira como a escovação é feita, não focando apenas dentes, mas também na gengiva. A maioria das pessoas impõe muita força ao escovar os dentes, causando retração gengival e expondo parte da raiz do dente, causando sensibilidade. A sensibilidade causa dor e dependendo do local a retração também pode afetar a harmonia do sorriso, influenciando na estética e autoestima.

“Basta fazer o teste em casa. Quem é destro, por exemplo, sempre começa a escovação pelo lado esquerdo, e vice-versa. E nesse início de escovação, a força imposta no ato é muito maior do que quando mudamos de lado. Também há uma ‘quebra’ no pulso que por si só já diminui essa força”, explica Alice.

A escovação deve ser feita sempre no sentido gengiva – dente e nunca ao contrário. Também é interessante “eliminar” o dedo indicador ao segurar a escova, na tentativa de impor menos força no ato da escovação. É importante conversar com o dentista do seu filho para que ele avalie a capacidade motora, anatomia dentária e gengival para indicar a técnica mais adequada.

Veja algumas sugestões de técnicas de escovação para cada fase da vida:

Bebês até 3 anos de idade: Posição joelho e joelho
A mãe e o pai (ou uma segunda pessoa) sentam-se de frente um para o outro, com os joelhos de um encostado no joelho do outro. A criança fica deitada com a cabeça no colo de um dos pais e com as pernas no colo do outro. O pai que dá apoio às pernas da criança pode segurá-las, se necessário gentilmente com os cotovelos, enquanto segura, com suas mãos, as mãozinhas da criança. A mãe, que deve estar apoiando a cabeça, segura, com a mão esquerda a cabeça apoiando os dedos médio, anular e mínimo, abaixo do queixo do bebê; com os dedos indicador e polegar afasta as bochechas para visualizar a cavidade bucal e os dentes. Com a mão segura a escova e realiza as técnicas propostas para higienização da cavidade. Os movimentos com a escova são circulares, e devem envolver todas as superfícies dentárias e gengiva, além da escovação de língua.

Crianças maiores de 3 anos: Posição de Starkey
A criança fica em pé na frente e de costas para a mãe e encosta a cabeça contra o ventre da mãe. A mãe deve usar a mão esquerda para segurar e estabilizar a mandíbula da criança; com os dedos afasta o lábio e a bochecha; com a mão direita empunha a escova e executa os movimentos circulares, envolvendo todas as superfícies dentárias e gengiva, além da escovação de língua.

Crianças em idade escolar: Técnicas de fones
Para crianças em idade escolar pode-se indicar a técnica de Fones, que é mais simples é a mais recomendada. Nela, a criança empunha a escova com os dentes cerrados e faz movimentos circulares (fazendo bolinha) na parte de fora de todos os dentes superiores e inferiores, indo do último dente de um semiarco a outro. Nas interior, os movimentos também são circulares, porém a criança agora deverá permanecer com a boca aberta. Nas parte superior dos dentes, os movimentos fazem um vaivém, “varrendo”. O número de movimentos que devem ser feitos em cada grupo de dentes é de 15 movimentos em média.

Crianças acima de 9 anos, adolescentes e adultos: Técnica de Stillman Modificada
A escova é colocada com o longo eixo das cerdas lateralmente contra a gengiva e as cerdas são deslizadas no sentido gengiva-dentes. Quando as cerdas estiverem junto ao ponto de contato com os dentes, são feitos movimentos vibratórios. Esse movimento é repetido de 20 a 25 vezes para cada grupo de dentes escovados e é o mesmo para arco superior e inferior e para as superfícies vestibulares e linguais. Essa técnica é eficiente tanto em sua capacidade de remoção de placa quanto no de massagem da gengiva.

Deixe um comentário