A ansiedade da família na reta final

    "Nessa fase final, para quem trabalha por escala como eu, a grande ansiedade é pela hora do parto". Bate forte o coração! A Lavínia está chegando e o papai Rodrigo Rossoni não esconde a expectativa

    Estamos às vésperas do nascimento previsto para a Lavínia, nossa segunda filha. A expectativa é enorme! Foi uma gravidez tranquila, com exceção de um pequeno sangramento de minha esposa Eliz nas primeiras semanas. Lavínia se comportou direitinho até agora, ganhou muitos presentinhos e a casa já está 90% pronta para recebê-la (só falta a montagem final do guarda-roupa).

    Até fizemos um chá de fraldas com a ajuda dos amigos e familiares. E o detalhe do “bolo de fraldas” foi um sapatinho da Pimpolho que ela ganhou da tia Mônica Lima logo que descobrimos a gravidez.

    rodrigo3Papai Rodrigo e mamãe Eliz à espera da Lavínia 

    Nessa fase final, para quem trabalha por escala como eu, a grande ansiedade é pela hora do parto. Pela previsão eu devo retornar para casa no dia 03/07, quando faltará cerca de uma semana para o nascimento. A grande dúvida é se Lavínia cumprirá o prazo ou antecipará. Neste caso eu posso ser liberado para retornar, mas a logística no trabalho offshore (em plataformas de petróleo, por exemplo) é bem complexa: aeronave, ônibus, mais ônibus, horários que não batem, etc. Temos um planejamento, mas a indústria de petróleo não está à minha disposição, portanto, tenho que ser paciente e pedir a Deus que ela nasça na data certa para eu estar presente.

    rodrigo2Família reunida – Cliques: Carol Arnone Fotografia

    Com Luiza, nossa primeira filha, deu tudo certo e eu assisti ao parto naquele que foi o momento mais emocionante de toda a minha vida. Quero muito sentir isso novamente e estou torcendo para tudo se encaixar. E por falar em Luiza, ela também não contem a ansiedade! Está louca para conhecer a irmãzinha. E se depender do carinho que ela tem com o barrigão da mamãe, essa menina será muito amada. Por sugestão da Eliz, fiz uma “entrevista” com a Luiza sobre as expectativas dela para a grande hora e também sobre a opinião dela a respeito do meu trabalho.

    Transcrevo abaixo e o áudio vocês podem ouvir logo depois.

    Estamos aqui com a Luiza, que é irmã da Lavínia que vai nascer em Julho, para fazer uma entrevista com ela. Tudo bem Luiza?
    – Tudo.

    Minha filha, deixa eu te perguntar uma coisa: você está feliz porque você vai ter uma irmãzinha?
    – Tô. Muito.

    Fala um pouquinho do que você vai fazer com ela quando ela nascer, como você vai tratá-la…
    – Eu vou tratar ela bem, vou achar ela legal e se ela “fazer” (SIC) cocô no chão eu vou ter que chamar a minha mãe.

    Ah, então você vai ajudar a sua mãe a cuidar dela e, mesmo se ela fizer cocô, você vai ajudar sua mãe?
    – Vou.

    Vocês vão brincar muito?
    – Muito! (brincar será com a Luiza, cocô será com a mamãe, sacaram?)

    Agora fala uma coisa aqui: você gosta do trabalho do papai?
    – Mais ou menos, porque eu gosto que você fica juntinho comigo.

    E você gosta que eu fique juntinho de você pra quê?
    – Pra gente ficar brincando ué! Criança gosta de brincar.

    Ah tá certo! E o que você gosta mais de brincar com o papai?
    – Dominó, pega-vareta, tapa certo e jogo da memória.

    Você sabe pra que o papai tem que trabalhar?
    – Pra ganhar dinheiro pra gente comprar comida e roupa de frio e roupa normal.

    E quando a Lavínia nascer, você vai explicar pra ela porque o papai precisa trabalhar?
    – Vou.

    E você acha que ela vai entender?
    – Mais ou menos, porque bebê não entende.

    Você acha que ela vai sentir saudade do papai?
    – Vai, muita!

    Deixe uma mensagem para o pessoal da Pimpolho e do Carinho a Cada Passo:
    – Nada, não sei. (quem sabe faz ao vivo)

    Então manda uma mensagem para sua irmãzinha
    – Também não sei… Que eu amo ela, só.

    Obrigado pela entrevista, até mais!

    [sharethis-inline-buttons]