A segurança das crianças na praia

    Você sabia que a praia é um dos locais de maior ocorrência de crianças perdidas durante o verão?

    Na maioria dos casos, são crianças que vão a praia pela primeira vez, mas de qualquer forma recomenda-se aos pais identificarem as crianças pequenas com pulseiras com nome/telefone, já que muitas vezes elas não sabem dar as informações para que pessoas possam ajudá-las.

    Importante também que os pais mostrem para a criança alguma referência, como a cor do guarda sol/barraca, um prédio, uma placa, uma barraquinha.

    No Brasil não temos regras claras sobre como agir nesses casos, tem pessoas que colocam a criança nos ombros e anda de um lado para o outro na esperança de que algum adulto que conheça a criança a reconheça.

    No Rio de Janeiro tem o Projeto Crianças Perdidas, que distribui pulseirinhas nas praias do Arpoador, Ipanema e Leblon durante o verão para que as crianças fiquem identificadas e em caso de se perderem dos pais, fique mais fácil localizá-los.

    No Guarujá, litoral de São Paulo, o projeto Anjos do Verão tem o projeto Bata Palmas. Quando a criança se perde ela é encaminhada para um ponto de encontro, onde são cadastradas e aguardam a chegada dos responsáveis. Enquanto isso ´guarda-vidas, policiais e banhistas batem palmas ao mesmo tempo em que gritam “criança perdida”. Esse projeto, desde 2006 já ajudou 705 crianças perdidas nas praias do Guarujá e Praia Grande.

    Na Praia de Atalaia, litoral piauiense, o Corpo de Bombeiros usa uma camiseta para identificar crianças perdidas, nela está escrito em vermelho “Estou perdido”. Quando a criança se perde, eles vestem a camiseta nela e andam pela praia tentando encontrar os responsáveis.

    No Rio Grande do Sul, os salva-vidas oferecem pulseiras identificar as crianças e no caso de crianças perdidas os agentes salva-vidas usam palmas, apitos ou bandeiras azuis para informar que uma criança perdida foi encontrada.

    Esses são apenas alguns exemplos, mas em um país com as dimensões como o nosso e com a quantidade de praias, deveria ter algum lei ou regra que fosse comum em todos os lugares, assim todos saberiam sempre como agir nesses casos.

    A melhor maneira de não perder uma criança é sempre estar de olho, não podemos esquecer que para eles a praia é um mar de gigantes bem parecidos, todos com sunga ou maio, meio amontoados, então é fácil se perderem.

    Se na sua cidade tem alguma forma de lidar com a situação da criança perdida na praia ou se você já vivenciou alguma experiência em alguma praia compartilhe conosco.

    Fonte: 30 e alguns