Aproveite o Dia das Crianças para fazer o bem

    Que tal aproveitar o momento de alegria que é o Dia das Crianças para conversar com seu pimpolho sobre solidariedade e incentivá-lo a doar aqueles brinquedos, roupas ou sapatos que já não servem ou não são mais usados?

    Toda criança gosta de ganhar presente. Que tal aproveitar o momento de alegria que é o Dia das Crianças para conversar com seu pimpolho sobre solidariedade e incentivá-lo a doar aqueles brinquedos, roupas ou sapatos que já não servem ou não são mais usados?

    O Dia das Crianças será comemorado no próximo domingo (12), e a data é uma boa oportunidade de praticar o desapego e a solidariedade com doações para instituições que abrigam menores carentes.

    Para tornar o momento prazeroso também, a dica e juntar a turminha e pedir que eles avaliem o que já está esquecido no fundo do baú há algum tempo e que não faz mais falta nas brincadeiras. Uma forma de desocupar a casa e ainda fazer outras crianças felizes.

    Como o exemplo também é importante, entrar na roda é uma forma de mostrar aos filhos que essa prática é uma rotina da família. Faça uma seleção você também, e durante o processo de separação, explique o motivo pelo qual não vale a pena guardar tantos objetos e que outras pessoas podem usufruir deles.

    Após separar os produtos, convide as crianças para acompanhar a entrega. Com certeza fará a maior diferença! Vale lembrar que tais instituições não dispõem de recursos para conserto de brinquedos quebrados, roupas ou sapatos danificados, portanto, o ideal é doar apenas objetos em bom estado de conservação.

    Cuidado com o excesso de presentes

    Além de mostrar aos pequenos os valores do amor ao próximo, os pais podem aproveitar para dar uma freada naquele corre-corre em busca do presente ideal, e, de quebra, avaliar se as crianças não estão ficando mal acostumadas com tantos mimos.

    O excesso de presentes é prejudicial ao desenvolvimento da criança e pode esconder, entre outros fatores, uma necessidade dos próprios pais, como explicou a psicopedagoga Elisabete da Silva Duarte, em entrevista ao jornal A Gazeta.

    “Os pais estão fora de casa por um período do dia cada vez maior. E o hábito de presentear vem ocupando a responsabilidade de compensar os filhos por essa dedicação menor. Com isso, o consumo de presentes aumenta”.

    Por outro lado, os pais também deixam de explicar aos filhos os reais motivos de estarem longe de casa durante o dia. “É importante mostrar a necessidade de trabalhar o dia inteiro e, além disso, deixar claro que presente não é recompensa”, orienta.

    Quando o tema em discussão é a felicidade dos filhos, todos os argumentos parecem cair por terra. Mas é preciso saber agradar com qualidade, e não apenas com quantidade. “Qualidade não tem a ver com compra. É mostrar ao filho que você se importa. Pai e mãe sempre tiveram afazeres, mas sempre houve um olhar e um ‘estar ali’. Hoje, os filhos perderam essa referência.”

    Fonte: A Gazeta

    [sharethis-inline-buttons]