As primeiras festas de fim de ano do bebê – 6 a 12 meses

    Encare as festas pelos olhos do seu filho

    O bebê absorve tudo o que vê e ouve, e o clima das festas de fim de ano vai encantá-lo. A visão já é muito boa entre os 6 e os 8 meses, e ele vai enxergar o mundo praticamente como os adultos.

    É claro que o bebê não entende direito o motivo de tanta festa, mas isso não quer dizer que você não possa começar alguma tradição especial para essa época do ano — enfeitar uma árvore de Natal, acender velas de Hanukkah, vestir branco no Ano Novo, fazer um café-da-manhã caprichado, você escolhe.

    Pense nas coisas que gostava de fazer quando era criança e reedite-as, ou então invente suas próprias tradições.

    Preciso tomar algum cuidado especial?

    Com essa idade, pode ser que o bebê não seja só sorrisos para as visitas. É quando começam a aparecer os sinais da ansiedade da separação. Não se surpreenda se seu filho abrir o berreiro ao ser colocado no colo do Papai Noel, ou se virar o rosto quando a vovó ou o vovô que vieram de longe se aproximarem para dar um beijo.

    Evite passar o bebê para o colo de um desconhecido sem avisá-lo, ou deixar que pessoas o tirem do seu colo pelas costas, sem que ele veja quem é. Dê um tempo para a criança se acostumar às novas fisionomias.

    Mesmo que não estranhe nada, na empolgação do clima de festas é fácil esquecer que tantos rostos novos, sons e novidades podem estimular demais o bebê, deixando-o inquieto e incomodado. Preste bem atenção aos sinais que seu filho lhe dá: coloque-o para dormir ao primeiro sinal de sonolência (esfregar os olhos e as orelhas, irritabilidade). E, se ele estiver especialmente nervoso, tente ficar um tempinho num lugar mais tranquilo.

    Uma das maiores fontes de problemas nessa época é a bagunça nos horários do bebê, por causa dos eventos sociais. Sempre que der, procure preservar pelo menos a rotina dos horários de dormir e acordar. É melhor procurar um quarto mais calmo e perder algum tempo tentando fazer o bebê adormecer que passar o dia inteiro com uma criança irritada e nervosa porque está cansada demais.

    Tome cuidado especial com o barulho de rojões e fogos de artifício.

    “Se os fogos forem próximos à sua casa, procure fechar janelas e portas para tentar abafar a intensidade do som”, recomenda o pediatra Fábio R. Picchi Martins. Segundo ele, não adianta colocar algodão no ouvido da criança para tentar amenizar o som, porque, além de pouco ajudar, ainda corre-se o risco de um corpo estranho ficar esquecido no local.

    “Não se deve levar bebês, em especial no primeiros 3 a 4 anos de vida, a eventos com queima de fogos, principalmente quando esses fogos visam apenas a espocares cada vez violentos, e não a espetáculos luminosos, menos lesivos”, diz o médico.

    Viagens de fim de ano

    Viagens podem deixar a criança meio confusa e insegura, com lugares diferentes e pessoas que ela não conhece. Programe um tempinho para ela longe das pessoas novas, para lhe dar tempo de relaxar. Se seu filho tem alguma “naninha” ou objeto de estimação, leve-a com você.

    Durante os trajetos, é provável que ele ainda durma boa parte do tempo, mas será mais difícil de distrair quando acordado do que era alguns meses atrás. Carregue brinquedos molinhos e livros (que ocupam menos espaço na bagagem que brinquedos grandes) para diverti-lo no caminho.

    Se seu filho já engatinha ou até anda, prepare-se: é capaz que ele reclame se tiver de passar muito tempo sentado. Em viagens de carro, faça algumas paradas para deixá-lo esticar as pernas. Se você vai de avião, vale deixar o bebê dar uma engatinhada rápida em um cantinho tranquilo do aeroporto – depois é só lavar bem as mãozinhas dele (e trocar a roupa, se você preferir).

    Lembre-se de que os congestionamentos e atrasos em vôos são muito mais comuns no final do ano, por isso planeje-se, carregando mais fraldas, trocas de roupa e alimentos.

    Atenção à segurança

    Quanto mais carros na estrada, maior o risco de acidentes. Não se esqueça de sempre andar com seu filho na cadeirinha do carro, bem preso. A cadeirinha também pode ser usada em viagens de avião, e garante a segurança do bebê em caso de turbulência e o conforto de todos na hora de tirar uma soneca no vôo.

    A partir do momento em que o bebê começa a engatinhar, a época das festas pode virar um pesadelo para os pais, que têm de tomar cuidado extra com velas acesas, enfeites pequenos, bolas de Natal de vidro, nozes e castanhas etc. Para certos bebês, a árvore de Natal parece mais o monte Everest – escalar é preciso!

    Se você tem um desses minialpinistas, talvez seja o caso de variar a decoração ou abrir mão da árvore em casa este ano — é difícil manter o espírito natalino quando se tem de passar o dia inteiro evitando que os enfeites desabem na cabeça do bebê. Atenção especial a objetos pequenos, que possam ir para a boca do bebê e fazê-lo engasgar.

    Cuidado com as bolsas das visitas: bebês curiosos podem encontrar lá itens perigosos — tanto para a saúde (como remédios) quanto para o bem-estar do seu sofá (como o batom da vovó).

    Outro perigo são toalhas de mesa compridas — bebês que estejam aprendendo a andar podem se apoiar na toalha para levantar, e travessas quentes podem cair da mesa em cima deles.

    Se você vai ficar hospedada na casa de algum parente, ou num lugar diferente, precisa reforçar a vigilância: berços antigos podem ser pouco seguros. O espaço entre as barras do berço, por exemplo, tem de ser menor que uma lata de refrigerante na horizontal, senão o bebê corre o risco de ficar com a cabeça presa.

    Queimaduras são mais frequentes em bebês de 6 meses a 1 ano, portanto tome cuidado extra com líquidos quentes, velas acesas e equipamentos elétricos.

    Como escolher o presente certo

    As brincadeiras do seu filho estão ficando cada vez mais vigorosas. Quando ele começar a engatinhar, vai querer pegar tudo aquilo que antes ficava muito longe do seu alcance. São adequados para essa idade brinquedos que estimulem o tônus muscular e as habilidades cognitivas da criança.

    Vale lembrar que os livros normais são um ótimo presente para qualquer idade – um adulto pode ler a história para o bebê, e o presente vai durar anos e anos.

    Brinquedos que fazem barulho e que imitam as atividades dos adultos fazem grande sucesso também — só verifique antes se o barulho não é insuportável para você!

    Preste atenção às peças pequenas que possam se soltar de brinquedos, afinal crianças dessa idade colocam tudo na boca. Se seu filho ganhar presentes que você não considere adequados para a idade dele, disfarce e guarde-os para quando ele puder usá-los.

    Fonte: Baby Center