Bebê coladinho em você: Cangurus e Slings

    Cangurus e Slings: nada mais prático para transportar um bebê! Eles liberam suas mãos ao mesmo tempo em que mantêm seu filho bem pertinho. Esse texto fez sucesso aqui no blog e, por isso, estamos publicando novamente. Vamos ler?

    Você certamente já deve ter visto a cena de um pai ou mãe empurrando um carrinho vazio com uma mão e segurando o bebê no outro braço, sem ter como fazer qualquer outra coisa.

    É por isso que cangurus e slings são tão práticos para transportar bebês: eles liberam suas mãos ao mesmo tempo em que mantêm seu filho bem pertinho.

    Outra vantagem é que ajudam a estreitar os laços entre vocês. As caminhadas tornam-se momentos de intimidade em que a cabeça do bebê fica próxima à sua, possibilitando trocas mais intensas e até bate-papos sobre tudo aquilo que estão vendo ao mesmo tempo.

    Muitas mães adotam slings ou cangurus para facilitar as atividades do dia-a-dia, como fazer compras, ir ao banco ou até dar um jeito na casa, sem deixar o bebê longe dos olhos. Para quem tem filhos mais velhos, é um jeito de acompanhar a brincadeira no parque e não precisar dividir demais as atenções.

    Também são uma opção para quem tem gêmeos ou o segundo filho com pouca diferença do primeiro. Aí um pode ir no carrinho e outro no canguru ou sling.

    Os slings costumam ser mais simples de pôr e tirar (depois de certa prática) do que os cangurus. Como eles atravessam o ombro, deixam o peito logo ali disponível se você precisar dar de mamar e ainda possibilitam transferir o bebê para o berço sem acordá-lo.

    Outro ponto forte é a maneira como posicionam a cabeça da criança tão perto do reconfortante barulhinho das batidas do coração da mãe. Mais usados com recém-nascidos, os slings podem durar todo o primeiro ano de vida, ou até mais, porque a posição da criança vai mudando. São muito úteis quando o bebê sofre de cólica e chora bastante.

    Apesar de o sling ser um acessório milenar, ao utilizá-lo é importantíssimo prestar atenção em como o bebê está acomodado, de modo que tenha espaço para respirar. Em 2010, o governo dos Estados Unidos emitiu um alerta aos pais sobre o uso incorreto de slings, relatando casos de bebês que acabaram morrendo sufocados, porque eram pequenos demais para movimentar a cabeça e procurar posição melhor para respirar.

    Segundo os especialistas da Comissão de Segurança de Produtos ao Consumidor, o segredo é “se assegurar de que o rosto do bebê não esteja coberto e fique visível o tempo todo para quem carrega o sling… Os pais e responsáveis devem ter o cuidado de checar com frequência como o bebê está dentro do sling”.

    Muitos cangurus podem ser usados com o bebê de frente para o peito de quem carrega durante os primeiros meses e depois, quando ele já tem melhor controle da cabeça, virado para o mundo externo. Há também modelos que são uma espécie de mochila para carregar o bebê nas costas quando ele está maiorzinho (mais ou menos a partir do sexto mês).

    Uma das grandes vantagens dos cangurus é distribuir melhor o peso da criança à medida que ela cresce e não sobrecarregar demais os ombros e as costas do adulto que a leva (o que pode acontecer com os slings).

    Na hora de comprar, verifique se as alças que se prendem a seus ombros são largas e bem acolchoadas, e se há cinto para passar por sua cintura. Veja também se as alças são ajustáveis para se adaptar a adultos de alturas e pesos diferentes.

    O lugar onde o bebê fica sentado também precisa ser bem confortável, com espaço para suas pernas gordinhas passarem e, de preferência, com uma parte mais acolchoada e provida de proteção lateral para ele descansar a cabeça durante o inevitável soninho que surgirá.

    Procure pôr e tirar o canguru por conta própria várias vezes para pegar prática e se certificar que vai conseguir fazer isso sem a ajuda de outro adulto, já que ele poderá não estar presente quando você precisar. Pense que você e o bebê passarão bastante tempo sozinhos e que terá que aprender a executar várias tarefas com uma mão só!

    Faça um teste para ter certeza de que o bebê está bem seguro dentro do canguru. Com o auxílio de outra pessoa, puxe o assento e as alças ligeiramente para ver se tudo está realmente firme e funcionando direito antes de sair para passear.

    Fonte:
    Baby Center Brasil

    [sharethis-inline-buttons]