Benefícios do Pilates para gestantes

    A partir do momento em que engravidamos, um monte de dúvidas e preocupações costumam aparecer. Eu, que também sou mãe, sei. Pensamos logo nas mudanças do nosso corpo. Se vamos engordar muito. Se vamos sofrer no parto. Se o bebê está crescendo saudável. Se podemos fazer força. Se podemos fazer alguma atividade física e por aí vai… Nesse cantinho do blog, irei explicar para vocês, como um método tão eficiente e prazeroso como o Pilates pode ensinar e ajudar a mamãe, não só durante a gestação, mas após também.
    O corpo muda sutil, porém rapidamente durante a gravidez. Essas mudanças, além de hormonais e emocionais, são também posturais. É normal a mamãe sentir desconforto durante a fase de adaptação. Dores nas costas, quadril e ciática. Além de falta de ar, câimbras e má postura são comuns. Tudo isso quando bem orientado por um profissional especializado, pode ser tratado e melhorado. O Pilates vem para deixar a gestação da mamãe emocionalmente e fisicamente mais tranqüila, preparando-a para o parto e o pós-parto.

    Então vamos a algumas dicas importantes:

    A primeira coisa a fazer é saber de quantos dias, semanas ou meses você está. Feito isto, devemos aguardar com cautela até o terceiro mês de gestação antes de iniciarmos o Pilates. Apesar de não ser uma regra, é preciso ter paciência nessa fase. Muitas mamães ficam ansiosas para começarem logo com os exercícios.

    Mas vamos esperar até que o feto se fixe direitinho no útero, para que possamos começar com segurança. Com a fase inicial do pré-natal em dia e com a liberação do ginecologista/obstetra, (caso não haja nenhuma contra-indicação) iniciaremos o método.

    Começaremos com um dos princípios básicos do Pilates. A respiração. Através dela, a mamãe irá conhecer mais seu corpo, sabendo que músculos usar durante cada exercício, de modo a facilitá-los. Fortalecendo e preparando seu abdômen, coluna e músculos do períneo, para suportar essas modificações.
    O treinamento desses grupos musculares fará com que a mamãe tenha o seu cinturão de forças, principalmente o transverso do abdômen (região lateral do abdômen), preparado para suportar o peso da barriga que cresce desviando a coluna e alterando o centro de equilíbrio do corpo. O fortalecimento dos músculos do períneo irá ajudar a mamãe na contração e relaxamento durante o parto, prevenindo também a incontinência por esforço.
    Após ter aprendido a respiração, a mamãe poderá fazê-la em casa, para ir treinando todos os dias esses músculos. E também usá-la como fonte de relaxamento, concentração e melhora da circulação.

    Vamos lá:

    Procure uma superfície plana e confortável.
    Deitada de barriga para cima, mantenha o pescoço e a cabeça relaxados, permaneça olhando para o teto, com os braços ao longo do corpo e as palmas das mãos viradas para cima. Pernas dobradas, com os pés paralelos, retos e apoiados no chão. Com o corpo posicionado, a mamãe irá puxar suavemente o ar pelo nariz sem esforço e durante a expiração, que deve ser feita pela boca, a mamãe irá fazer uma contração puxando o umbigo para dentro, como se ele fosse encostar lá atrás nas costas. Junto com a contração dos músculos do abdômen a mamãe também irá fazer uma força de contração puxando os músculos do períneo para dentro, como se quisesse segurar o xixi. Na hora de puxar o ar novamente, que será feito pelo nariz, a mamãe deve relaxar todos esses músculos. A quantidade e repetição desses exercícios serão orientados individualmente de acordo com o desempenho e aprendizado de cada mamãe.
    É muito importante que essa fase inicial do Pilates seja bem aprendida e treinada, porque ela é importantíssima na sequência do trabalho.

    Quem inicia o Pilates antes ou durante a gestação tem a recuperação acelerada no pós-parto. Podendo voltar às atividades da vida diária com mais disposição e tendo aprendido, através do posicionamento correto do corpo, a manter uma boa postura em todas as atividades.