Como escolher a creche certa para seu pimpolho?

    E na hora de decidir a primeira escolinha do pimpolho? É importante ficar atento a várias questões para escolher o melhor lugar possível. É a colunista Bárbara Lara quem dá essas dicas pra gente!

    Olá queridos leitores, no último post iniciamos uma conversa sobre a trajetória escolar de nossos pimpolhos, os tantos desafios e oportunidades contidos nesse processo. Hoje, vamos conversar um pouco mais sobre os critérios a serem observados para uma adaptação saudável ao ambiente escolar.

    Tomada a decisão de colocar seu pimpolho na creche, o que precisa ser avaliado? Todos os aspectos possíveis. E olha que não são poucos! Afinal, seu filho passará boa parte do seu tempo nesse novo ambiente. Então, vamos conversar sobre alguns deles.

    A primeira decisão para escolher uma creche adequada para seu filho passa pela avaliação de sua proposta pedagógica. O ideal é encontrar uma creche onde os conteúdos curriculares estejam em equilíbrio com o foco nos cuidados, como o acolhimento, o afeto e o vínculo que as crianças tanto precisam nessa fase. Não é fácil, já que as creches atuais tendem a polarizar seus modelos de funcionamento, centrando em um desses aspectos.

    Segundo passo fundamental é avaliar a estrutura física desse espaço. Garante a segurança de nosso pimpolho? Detalhes como acabamentos de pisos, paredes e tomadas, por exemplo, não podem passar desapercebidos. São oferecidos objetos estimuladores? Como são os espaços de convivência e interação? A equipe profissional é adequada? A orientação é que exista um profissional para cada três crianças com até um ano de idade. Para além da quantidade, observe com calma a qualificação dos mesmos. Como se relacionam com as crianças? As tomadas de decisões são rápidas e eficazes? Como mediam as relações entre os pequenos?

    Por fim, e tão importante quanto os passos anteriores, observe como são tratadas as questões de higiene, críticas para essa faixa etária. Analise se as crianças permanecem muito tempo em ambientes fechados, que propiciam a transmissão de doenças. Observe a disposição dos berços e colchonetes, como a distância adequada. Cuidado essencial, verifique os materiais de uso pessoal, como lençóis, toalhas, chupetas, escovas, entre outros. Estão identificados e separados? Como acontece a troca de fraldas, a escovação ou o banho?

    Minha dica é: separem um tempo, mesmo com a rotina agitada, para que possam observar e avaliar com calma todos esses aspectos. Tomem uma decisão apenas quando se sentirem seguros e confiantes com que o desejam e lhes foram oferecidos. Autonomia, com acolhimento e suporte, é o que esperamos para o desenvolvimento saudável de nossos pimpolhos. Em nosso próximo encontro, vamos pensar como é para a criança iniciar esse nova fase.

    Abraços e espero pelos comentários de vocês!
    Bárbara Lara.

    [sharethis-inline-buttons]