Como fazer a escolha da maternidade

    A mulher nem mesmo se acostumou com a ideia de estar grávida e já precisa tomar decisões importantes. Uma delas diz respeito à escolha da maternidade ou do hospital.

    Apesar de o parto parecer algo distante durante as primeiras semanas de gestação, a futura mamãe já precisa pensar onde viverá esse momento mágico. Confira algumas dicas do que não pode passar em branco durante essa importante escolha.

    Indicações são sempre bem-vindas

    A indicação do obstetra é fundamental para a escolha da maternidade. Afinal, ele melhor do que ninguém conhece a estrutura dos hospitais, o que pode ajudar muito durante a pesquisa. Buscar referência com amigas também é muito válido, pois, assim, você conseguirá ter a opinião de ambos os lados: do profissional e da paciente.

    Cobertura do plano de saúde

    Se a gestante tem plano de saúde, é fundamental saber quais são as maternidades e os hospitais atendidos pelo convênio antes de fazer o primeiro contato. É interessante saber os detalhes da cobertura do plano, ou seja, se todos os exames da mãe e do bebê são cobertos, se é possível escolher o quarto, se há cobertura para UTI adulto e neonatal em caso de necessidade. Caso o obstetra seja particular, vale questionar também sobre o procedimento de reembolso.

    Visite ao menos duas maternidades

    Depois de solicitar as indicações e consultar a cobertura do convênio, é hora de conhecer a estrutura oferecida. É muito importante visitar ao menos duas maternidades, e é indicado que isso seja feito entre a 25ª e a 30ª semanas de gestação, momento em que a mãe ainda não está tão cansada.

    Acesso

    Aproveite o fim de semana para calcular o tempo gasto no caminho entre a casa e o hospital e também do trabalho para o hospital, fazendo sempre uma estimativa em casos de congestionamento. Vale se preparar para emergência, conhecendo rotas alternativas desses percursos.

    Check-list na maternidade

    Confira, a seguir, em que é preciso ficar atenta na visita à maternidade:

    – É fundamental saber se há uma equipe multidisciplinar, composta por obstetra, neonatologista e anestesista, de plantão 24 horas, com pronto-atendimento clínico e obstétrico.
    – A maternidade deve oferecer diagnósticos por imagem (ultrassonografia e tomografia computadorizada), laboratório de análises clínicas e bancos de sangue e de leite.
    – É importante conhecer a infraestrutura disponível em casos de emergência, como UTI adulto e neonatal, apoio psicológico etc.
    – Atente-se ao sistema de segurança do local, principalmente com a identificação dos visitantes, assim como o da mãe e o do bebê antes da alta.
    – Além da limpeza impecável, os quartos devem ter, basicamente, espaço para receber visitas, lugar para o acompanhante dormir e cadeira de amamentação.
    – Existem locais que oferecem salas de pré-parto espaçosas, com estrutura para anestesia e outros procedimentos e equipamentos que aliviam a dor e estimulam o parto.
    – O berçário deve ser amplo, limpo, com berços aquecidos, aparelhos de fototerapia, oxigênio e equipe de médicos e de enfermagem especializadas. É bom saber se há um berçário central ou um em cada andar do hospital.
    – É importante ver a disponibilidade da equipe de enfermagem para ajudar nos primeiros cuidados com o bebê (troca de fraldas e banho) e para tirar dúvidas sobre a amamentação.
    – Procure saber se a mãe pode amamentar logo depois do nascimento e se o pai pode dar o primeiro banho. Esse contato é extremamente importante para a família.
    – Vale a pena também conhecer os certificados de qualidade (internacionais ou nacionais) da maternidade.

    Serviços extras

    A cada dia, as instalações das maternidades estão mais sofisticadas. Conheça alguns dos serviços extras oferecidos:

    – O cartório dentro das instalações da maternidade facilita muito na hora de registrar o bebê.
    – Para papais mais corujas, também é possível encontrar serviços de foto e filmagem para acompanhar o parto.
    – Mamães vaidosas podem contar com serviço de manicure, pedicure e até cabeleireiro.
    – Para visitantes esquecidos, muitas oferecem lojas de presentes e floricultura.

    Fonte: Vida de Bebê