Desenvolvimento dos filhos: a hora de pedir ajuda

    Se algo não vai bem com seu pimpolho, não tenha medo em pedir a ajuda de um profissional. Acredite, tudo será resolvido de forma mais simples e certeira.

    Olá queridos leitores! Resolvi escrever hoje sobre um momento muito delicado para todos os pais: a hora de pedir ajuda a algum profissional, pois algo não vai bem.

    É muito difícil para os pais reconhecer que existe alguma coisa errada acontecendo em casa, e, cá pra nós, que atire a primeira pedra o pai ou a mãe que não se sente culpado por todos os problemas que acontecem na vida de um filho. Acontece que, justamente por conta desta culpa, os pais pensam ser responsáveis pelo problema e acreditam que podem resolvê-lo sozinho, o que nem sempre é possível, pois como já dizia o ditado “santo de casa não faz milagre”.

    Ao perceber que as tentativas para as coisas melhorarem não estão sendo suficientes, é importante procurar a ajuda de um profissional o quanto antes, pois como em todas as especialidades, qualquer transtorno que seja identificado ainda no começo é muito mais fácil de ser tratado. Mas, para isso, é necessário que alguns sinais sejam percebidos e considerados caso venham a se tornar frequentes.

    Existem alguns comportamentos que são mais facilmente percebidos quando se alteram: como o sono agitado, quando a criança se mexe muito enquanto dorme, acorda em uma posição completamente diferente da que foi dormir, ou dorme menos que o normal. Este pode ser um dos indícios de que algo não vai bem e os motivos para isto podem ser dos mais variados, desde uma ansiedade devido a alguma mudança na rotina, até algum problema respiratório que precisa de acompanhamento. Da mesma forma, a mudança nos hábitos alimentares da criança também podem dar algumas dicas, quando a mesma passa a comer compulsivamente ou perder o apetite habitual.

    Mudanças bruscas e frequentes no comportamento, como por exemplo, agitação, prostração, irritação, melancolia, entre outros, também podem ser sinais importantes de algum conflito interno da criança.

    A escola pode ser também um forte colaborador para identificar essas alterações. Os profissionais que convivem com a criança diariamente na escola vão poder dizer caso notem uma diferença no desempenho escolar: se a criança que sempre teve prazer de ir para escola, agora não se diverte mais e não interage como antes com as outras crianças. Esses também podem ser sinais de alerta.

    Limites1Se perceber uma mudança brusca de comportamento no seu pimpolho, fique atento: pode ser um sinal de que algo não vai bem!

    Mas, além disso tudo, também é muito importante saber reconhecer quando essas alterações se dão devido à um evento isolado, como quando as crianças estão de férias e mudam suas rotinas, ou estão passando por alguma mudança. É preciso compreender que estes fatos passam a ser preocupantes quando são recorrentes e com certa frequência.

    Então queridos leitores, não tenham medo de procurar ajuda de um profissional quando algo foge ao seu controle. Ao nascer uma criança, não nasce junto um super-herói, capaz de resolver todos os males desse planeta! A orientação e o apoio de um profissional capacitado é sempre bem vinda, nem que seja para dizer que está tudo bem e seu pimpolho continua saudável e feliz.

    Um abraço, e até a próxima.

    Foto capa: Pink Sherbet Photography /// Licença CC