Desfraldar ou não desfraldar? Eis a questão!

    Fase complicadinha essa, né? É muito importante que o papai e a mamãe acompanhem bem de perto essa transição, ajudando sempre que possível. A psicóloga Talita Medeiros conta pra gente como é, dá uma olhada!

    Na semana passada, você leu aqui no blog um post sobre esse tema, que ainda gera muitas dúvidas, em especial nos pais de primeira viagem. Para dar continuidade ao assunto, vou falar um pouco mais sobre essa questão que toda família enfrenta quando seus bebês começam a crescer: será que já está na hora de tirar a fralda? Qual será o melhor momento? Será que meu filho está pronto? Dá muito trabalho?

    Se essas perguntas estão pairando sobre sua cabeça nesse momento… Lá vai mais uma: sabe quem tem a resposta para elas? A resposta é simples: o seu pimpolho!

    Existem alguns sinais que as crianças começam a dar nessa fase e que os pais precisam estar atentos. Por exemplo: quando a criança, mesmo de fralda, avisa que vai e/ou quer fazer xixi ou coco. Isso indica que ela já tem a percepção do que se passa em seu corpo e é capaz de controla-lo, além claro, de demonstrar que ela é capaz de verbalizar o que está sentido, podendo então pedir para ir ao banheiro.

    Outro forte indicador é o desconforto que começa a ser sentido com o uso da fralda. Quando isso passa a ser um incômodo, talvez seja o momento de rolar aquela conversa com seu neném para explicar a necessidade do uso da mesma, bem como o que deve ser feito para que ela não seja mais necessária.

    Existem casos em que as crianças, inclusive, pedem claramente aos pais que joguem as fraldas fora. Jogar ou não jogar é uma escolha dos pais, mas saiba que, se seu filho está pedindo, é porque ele se sente pronto para isso e é preciso coragem para reconhecer que ele cresceu e já é capaz de fazer escolhas por si só! Rs.

    Claro que não estamos falando de escolhas como casar ou comprar uma bicicleta, mas de uma pequena decisão que para ele é um enorme passo para se sentir seguro e mais independente.

    E os pais, como ficam nessa fase? Exaustos! Ninguém falou que seria fácil! Rs… Mas é preciso ter muita paciência e calma nessa hora. A partir do momento em que foi dado início ao processo de desfralde, não é interessante recuar, pois para seu filho, pode parecer que ele não foi capaz e que fracassou na missão. Por isso, coragem! Umas noites de cama molhada, algumas mudas de roupa sujas e ter que sair correndo de onde estiver para chegar ao banheiro mais próximo faz parte do processo, mas depois é só alegria!

    É muito importante comemorar a cada pequena vitória, além de conversar e compreender em cada tropeço. Nós sabemos o quanto é difícil reconhecer que nosso pimpolho está crescendo, mas deixa-lo crescer e caminhar rumo à independência é muito gratificante.

    Espero ter ajudado! Até a próxima!

    [sharethis-inline-buttons]