Dicas para organizar uma festa junina educativa

    O Carinho a Cada Passo acha super importante aproveitar algumas celebrações típicas do nosso país para incluir atividades educacionais que instruam as crianças em meio à diversão. Quer oportunidade melhor do que uma bela festa junina pra ensinar algumas questões da nossa rica cultura para seus filhos? Selecionamos, do site Educar para Crescer, algumas ações fáceis para tornar essa época tão gostosa do ano em uma verdadeira sala de aula ao som do forró. Confiram as dicas abaixo:

    Pé de moleque, canjica, curau, pamonha, bolo de milho, quentão, bandeirinhas, fogueira, chapéu de palha, sanfona e arraiá. Sim, estamos falando de festa junina. Todo mês de junho é assim: tiramos do armário as camisas xadrez e os vestidos de chita, pintamos sardinhas nas meninas e bigodinhos nos meninos e vamos satisfeitos para a festa, pensando em todos os quitutes deliciosos que nos aguardam.

    Mas esquecemos o principal: o significado da festa. Você conhece as origens das festas juninas? Sabe por que comemos tantas iguarias de milho e de onde vêm as danças? E o colégio do seu filho, aproveita as festas juninas para preencher buracos na grade horária e engordar o caixa ou utiliza os festejos para ensinar alguma coisa para as crianças?

    Embora seja uma tradição consagrada e rica da cultura popular, muitos organizam festas de São João, Santo Antonio e São Pedro que pouco, ou nada, contribuem para a aprendizagem das crianças. Alguns pedagogos e um antropólogo elencaram algumas dicas para mudar isso.

    1 – Procurar o sentido original da festa:

    Qual a origem da festa junina? Descobrir isso pode ser o primeiro passo para a contextualização da festa. E é importante motivar as crianças a buscarem esta resposta. Saber que a tradição vem dos festejos de agradecimento aos santos pela colheita do meio do ano e que, por isso, a maioria dos quitutes é feita de milho, por exemplo, pode despertar neles o interesse pela história. “É necessário recuperar o porquê da tradição da quadrilha, das comidas, da fogueira, para que a festa junina não vire uma mera caricatura do mundo da roça”, diz o antropólogo Jadir de Morais Pessoa, professor titular da Universidade Federal de Goiás, especialista em folclore.

    2 – (Des)caricaturizar o homem do campo

    Homem do campo não é Jeca Tatu. É importante apresentar o campo de uma nova maneira. Tirar o olhar de deboche sobre o caipira, manifesto muitas vezes pelas roupas exageradas ou por posturas imbecilizadas. “Trazer uma pessoa da roça para contar dos saberes, descaricaturizar o homem rural. Festejá-lo como sujeito portador de saberes”, indica o antropólogo Jadir de Moraes.

    3 – Resgatar as manifestações culturais

    Um dos elementos mais importantes das festas juninas são as danças e as músicas populares. Muitas escolas e pais contratam profissionais especializados em cultura popular para valorizar e aprofundar esse universo e desenvolver com os alunos as danças e as canções típicas. Elas não se limitam a contratar sanfoneiros e conjuntos para meras apresentações, fazem mais: colocam os alunos para dançar e até para criar as músicas. “Trabalhamos há 10 anos com danças típicas de todo o Brasil. As crianças de 5 anos apresentam a “Congada”, dança de Minas Gerais; as de 6 anos dançam o “Bumba meu Boi”, do Maranhão; e as de 7 anos fazem a tradicional quadrilha”, conta Elizabeth Menezes, professora de educação corporal. A festa junina pode ser ótima oportunidade também para apresentar novos instrumentos musicais para as crianças. Elizabeth, por exemplo, traz instrumentos folclóricos como a caixa do Divino Espírito Santo, a matraca, os gungas e os chocalhos. “O mais lindo é ver o quanto as crianças aprendem. Esse ano um aluno criou uma música que nós vamos utilizar na dança: “Um triângulo, dois quadrados, céu e terra, sol e chuva formam o planeta terra de todo mundo”, emociona-se a professora, cantando a canção do aluno.

    4 – Valorizar o brincar

    Uma das tradições da festa junina são as brincadeiras: pescaria, boca do palhaço, jogo da argola, corrida de sacos, pau de sebo, entre outros. Os jogos juninos são a grande diversão da garotada e podem ser uma boa maneira de transmitir valores de cidadania para os alunos.

    Viram como é fácil tornar essa festa muito mais interessante e educativa para as crianças? Vale também chamá-las para ajudarem na decoração, caracterizá-las com todos os adereços juninos e preparar uma quadrilha cheia de animação! Sempre lembrando de tomar muito cuidado com fogos de artifício, balões e fogueiras: mantenham os pimpolhos sempre longe. Boa festança para todos!

    [sharethis-inline-buttons]