Doulas: as companheiras durante a gravidez

    O maior desejo de uma grávida é que tudo corra bem na hora do parto, não é mesmo? Isso costuma gerar muita ansiedade, principalmente nas mães de primeira viagem. Antigamente, as mulheres viviam mais próximas de suas famílias. A maioria delas fazia parto normal e esse conhecimento era passado de mãe para filha.

    Como isso acontece cada vez menos, muitas mulheres que optam pelo parto normal se sentem inseguras e somente a orientação médica não acalma a ansiedade delas. É aí que entra o trabalho da doula. Você já ouviu falar? Doula é a acompanhante que ajuda a mulher na hora do parto. Dá apoio, orienta e fica ali do lado, principalmente quando o parto é normal.

    O acompanhamento de uma doula particular custa em média R$600 e existem cursos que formam estas profissionais. Nas aulas, as futuras doulas não recebem nenhuma formação específica, seja em medicina ou psicologia. Elas simplesmente são preparadas pra identificar as dificuldades mais comuns na hora do parto e proporcionar conforto e segurança às mulheres.

    Marcele Ribeiro é professora de ioga e descobriu há dois anos a atividade de doula, por experiência própria. Contratou uma para ajudá-la na primeira gravidez e gostou tanto que resolveu se tornar uma também.

    O que essas mamães de hoje estão descobrindo, na verdade, não é nenhuma novidade. O papel da doula existe há milênios. Em grego, a palavra quer dizer: mulher que serve. Mas não precisa nem ir tão longe. Na nossa história mesmo, até algumas décadas atrás, a maioria das mulheres dava à luz em casa e eram as mães ou parentes das gestantes que faziam o trabalho de doula, junto às parteiras.

    Hoje, o valor desse apoio é reconhecido pelo Ministério da Saúde, que incentiva a presença de doulas voluntárias nas maternidades públicas.

    Doula x médico

    Quem imagina que médicos e doulas não se completam, engana-se. O obstetra Alberto Jorge Guimarães garante: é um trabalho muito importante. “A doula minimiza a frieza do ambiente hospitalar e proporciona suporte afetivo e emocional, tornado a experiência mais suave para os novos pais. Além de apresentar posições confortáveis para o trabalho de parto, formas eficientes de respiração e medidas naturais de alívio das dores, como banhos quentes, massagens, compressas e exercícios de relaxamento”, explica o médico.

    O trabalho entre médicos e doulas é de parceria. “Geralmente as doulas começam suas atividades no início do trabalho de parto, ainda na casa da gestante, acompanham até a maternidade. Como parte importante da equipe multidisciplinar, colabora muito com as questões ligadas ao emocional e na execução de técnicas não farmacológicas de alívio”, afirma.

    Guimarães explica que, antes do parto, a doula orienta o casal a se preparar emocional e fisicamente, comenta os procedimentos comuns, ajuda os novos pais com relação à ansiedade que precede o nascimento do novo membro da família. “Durante o parto, a doula encoraja, acolhe, apresenta opções de movimentos, ajuda à parturiente buscar posições confortáveis para o trabalho e auxilia o novo pai a encontrar seu lugar neste momento tão íntimo e feminino, colaborando e sendo útil”, afirma. “Já no pós-parto, ela ajuda a mãe fazer um levantamento dos pontos positivos da experiência, orienta na amamentação e nos cuidados com o recém-nascido“.

    De acordo com o médico, estudos internacionais apontam que o acompanhamento de uma doula durante o trabalho de parto reduz em até 60% os pedidos de analgesia, isso por sua disponibilidade de apresentar opções naturais de alívio, o que nem sempre é possível ser feito pela equipe hospitalar.

    Mas atenção: as doulas não realizam qualquer procedimento médico, como exames, coletas, entre outros. “Elas também não avaliam a saúde da parturiente ou do recém-nascido, de forma que não substitui os profissionais especializados na assistência ao parto como obstetra e pediatra, por exemplo”, alerta.

    Se você gostou da ideia e quer trabalhar como doula, Guimarães dá a dica: no Brasil existem cursos regulares para formação de doulas. “Quem se interessar, pode obter informações sobre cursos e até mesmo encontrar uma doula em sua cidade no site www.doulas.com.br. Na contratação dos serviços de uma doula é importante observar a empatia e afinidade, pois esta sintonia entre a profissional e o casal grávido criam um clima de cumplicidade durante o parto”, finaliza o profissional.

    FONTE: Ana Maria Braga