Educação além das palavras

    Quando criança eu tinha um caderninho em que anotava todos os filmes a que assistia. Havia centenas de nomes escritos lá. O cinema sempre fez parte de minha vida e, se hoje escrevo esta coluna, é porque considero que a linguagem audiovisual foi muito importante em minha infância e, claro, ainda é.

    Hoje em dia as crianças têm acesso a muitas informações que ajudam a formar sua visão de mundo. O objetivo desta coluna é mostrar essas opções informativas e culturais do universo infantil que possam ser experiências enriquecedoras para pais e filhos. Não só o cinema, como também TV, teatro, feiras e eventos.

    Então, neste primeiro post, vamos falar sobre a importância de acompanhar o que as crianças assistem. Ao contrário do que muitos dizem, as telas não são apenas uma “babá eletrônica” que devem ser sempre trocadas pelo nosso amigo de papel. Afinal, o contato entre criança e cinema e também criança e TV pode ser muito educativo e, lógico, uma ótima opção de lazer, tal qual a leitura de um livro.

    Mas há programas e filmes que não são recomendados para algumas faixas etárias, e como a classificação indicativa nem sempre é 100% confiável, cabe aos pais esse controle, que não deve ser uma imposição ao que a criança deve assistir, mas sim, apenas uma restrição de quais programas são ou não apropriados.

    É essencial para os pequenos ter liberdade para escolher suas programações preferidas. Isso significa educar para a autonomia, dando aos filhos a condição de interpretar, avaliar, pensar e criar em cima dos produtos culturais que venham a ter contato.

    Também é fundamental que os pais incentivem os filhos a verem filmes e programas com bons conteúdos. Ir ao cinema com seu filho ou assistir a um programa de TV com ele pode ser um programa em família enriquecedor, que relaciona lazer e cultura. É interessante, após a sessão, conversar com a criança sobre suas impressões da história contada na tela, respeitando seus posicionamentos, escutando suas críticas, permitindo leituras de mundo e partilhando as suas também.