Férias: como viajar com crianças?

    Sair de casa para conhecer coisas novas, seja em uma viagem curta ou longa, é uma ótima maneira de dar aquela sacudida na rotina, não é? Com a presença de filhos pequenos, no entanto, uma parte desse espírito de aventura e descoberta pode mudar um pouco (ou muito!). Mas, com algum planejamento, continua sendo superpossível e muito prazeroso, sim, senhor. A blogueira Priscilla Perlatti, do Vamos Aonde, fala sobre quais detalhes considerar nesse momento e dá dicas para aproveitar bem esses passeios com o filhote.

    As férias escolares estão aí e as chances de os passeios darem certo aumentam – e muito! – se o planejamento for bem-feito. Eu amo viajar em família sempre optamos em viajar com as crianças. Apesar de muita gente recomendar uma escapada a dois para o bem do casamento, o grande prazer meu e do meu marido é ficar imaginando a infinidade de lugares do mundo para serem apresentados às nossas filhas.

    Se você também abraça a causa das famílias viajantes, separamos seis dicas para facilitar a hora de botar o pé (e as rodinhas do carrinho) na estrada:

    1- A primeira coisa a se verificar é a documentação.

    Certidão de nascimento ou RG é indispensável em qualquer viagem. Se a criança for para o exterior, não se esqueça de providenciar o passaporte. E, se seu filho for viajar sem os pais ou com apenas um deles, é preciso uma autorização por escrito com assinatura autenticada em cartório. Aproveite para checar se o lugar de destino requer algum tipo de vacina.

    2- Planeje, planeje, planeje.

    Com crianças pequenas, não dá para entrar em roubadas. Existem sites e blogs especializados em viagens em família que dão dicas dos melhores programas, hospedagem e alimentação para esse público.

    3- Pesquise onde é melhor comprar itens de primeira necessidade para os pequenos no seu local de destino.

    Pacotes de fraldas e latas de leite podem ocupar muito espaço na mala. Mas fique atenta: às vezes é mais vantajoso levar de casa.

    4- Vale a pena levar o carrinho? Sim, na maioria das vezes.

    É desconfortável e cansativo ficar carregando um serzinho de 10 ou 12 quilos no colo durante horas. No mais, quando chega a hora da soneca dos pequenos, dá para eles descansarem numa boa, independentemente do local onde estiverem (pense ter que interromper um jantar bacana para voltar para o hotel). Não deixe se enganar achando que pode ser um estorvo por causa do tamanho.

    5- Cada etapa do desenvolvimento das crianças tem suas peculiaridades e é preciso levar isso em consideração na hora de escolher os passeios.

    Bebês até 12 meses (geralmente) não andam e são mais fáceis de carregar. Se estiverem cansados, podem facilmente dormir no carrinho, e a alimentação é bem menos complicada, principalmente se ainda mamam no peito, porém gostam de rotina e podem estranhar tanta novidade. A partir de 1 ano, a curiosidade é maior. Eles querem explorar e, literalmente, correr para o mundo. São mais seletivos com comida e geralmente não são muito abertos a experimentar novos sabores. Com mais de 3 anos, as crianças já têm um bom entendimento da dinâmica de uma viagem e um excelente vocabulário. Esteja preparado para responder à enxurrada de porquês decorrente dessas novas experiências (pessoalmente, uma das minhas partes favoritas de uma viagem com crianças, mas. depois de uns 65.465 porquês, começa a ficar cansativo).

    6- Nunca é demais enfatizar: aproveite o tempo com a família.

    As férias podem ser um bom momento para estreitar os laços e fortalecer o vínculo com seus filhos.

    Fonte: Blog Vida de Mãe