Filhos, nosso maior tesouro

    O Dia dos Pais está chegando e nada melhor do que lembrar daqueles momentos especiais que vivemos ao lado dos filhos. O colunista Miguel Vieira Jr divide as pérolas vividas por ele junto do filho. E você? Têm guardado as preciosidades do seu dia a dia com seu pimpolho?

    Se estivermos atentos, diariamente somos presenteados com diversas “pérolas” vindas dos nossos meninos e meninas. Sou do tipo que recolhe todas elas bem aqui, no meu coração. Então, dedicando este post a todos os papais pelo nosso dia que está próximo, dividindo com todas as famílias algumas poucas pérolas que já recolhi.

    Pérola 1:
    Exausto de tanto brincar pela casa com o Cauê, sugeri:
    – Filho, que tal a gente descansar um pouquinho? Vamos pra sala ver desenho?
    Pensei que ele aceitaria sem pensar, mas argumentou:
    – Não pai, a mãe quer ver novela. Novela é o desenho da mãe.

    Pérola 2:
    Final de semana, almoço em casa, todo mundo junto à mesa e eu insistia com o Cauê pra ele comer mais um pouco antes de sair pra continuar a brincar:
    – Filho, só mais um pouquinho. Come, depois pode brincar… Ok?!?
    Depois de fazer muita manha e choramingar, se defendeu:
    – Mas pai, minha barriga tá pedindo pra eu não comer mais. (estufando a barriga e colocado a mão pra mostrar).
    Foi engraçado, mas não convenceu, aí resolveu apelar:
    – Pai, ô pai, meu coração tá pedindo pra eu não comer mais. Escuta pai, tá escutando?

    Pérola 3:
    Enquanto a minha esposa fazia as unhas do pé, inquieto o Cauê observava de perto. Quando ela terminou um dedo e passou para o seguinte, ele não conteve o comentário:
    – A mãe passou de fase na unha (fazendo associação as fases de um game)

    Pérola 4:
    Antes de dormir levo o Cauê pra escovar os dentes e fazer xixi. Ele costuma colaborar, talvez porque esse é um dos momentos em que a gente se diverte. Sobre a pia do banheiro, em frente ao espelho, ele faz caras e caretas, conversa e me proporciona algumas cenas de se guardar. Noite dessas foi muito especial. Ele fazia xixi (sozinho, não quis ajuda), eu admirava aquele gurizinho “independente” e deu uma vontade enorme de abraçar forte. Assim que terminou, me ajoelhei em frente dele e ofereci um colo pra poder aproveitar o abraço.
    – Filho, dá um abraço no pai. Hoje no trabalho morri de saudades.

    Eu ainda de joelhos e ele se aproximou, me olhou nos olhos, segurou meu rosto e disse:
    – Pai eu já cresci.

    Pelamordedeus!!!! Ri Muito!!! Naquele momento imaginei ele me falando a mesma frase do alto dos seus vinte e tantos anos diante da minha insistência em achar que ele ainda tem 2 anos e meio. Não me contive, olhei bem nos olhos dele, segurei seu rosto e disse que o amava. O inusitado pelo ambiente congelou, pai e filho, olho no olho, ambos segurando o rosto um do outro e ele eterniza a cena:
    – Pai… EU te amo… MUITO!!! Te amo muito…muito… Muitoooo.

    Me dedico a recolher essas pérolas e faço delas minha riqueza.
    🙂 😉 🙂

    [sharethis-inline-buttons]