Higiene bucal desde a infância: um ato de amor

    Nossa colunista Alice Sarcinelli fala sobre a importância de incentivar a higiene bucal desde cedo para a criança.

    No dia 03 de outubro é comemorado o Dia Mundial do Dentista. A data nos faz refletir sobre o quanto a saúde bucal, transmitida pelas informações e trabalho desses profissionais, tem feito diferença para a saúde das comunidades. Porém, quando estamos falando de saúde e de famílias, há que se destacar que o dentista tem papel coadjuvante. Quem precisa realmente brilhar são os pais/responsáveis, aqueles que no dia a dia experimentam as delícias e dificuldades do cuidar e educar.

    Nesse processo, diante de tantas obrigações, muitas vezes a higiene bucal é colocada de lado e as justificativas são as mais diversas: meu filho não gosta de escovar os dentes, eu não consigo escovar antes dele dormir e após a última mamadeira ele não deixa, ele quer escovar sozinho, ele chora muito. As dificuldades existem, sim, e podem desencadear problemas ainda maiores quando a cárie se instala, pois todos sofrem. Nessa hora o papel do odontopediatra é informar, aconselhar.

    Primeiro temos que entender a real importância da higiene bucal. Eu realmente preciso escovar os dentes do meu filho diariamente? Toda vez que comemos, os restos de alimentos que ficam acumulados em dentes e língua são fermentados por bactérias e a saliva se torna mais ácida, causando uma perda mineral dos dentes que pode ser revertida principalmente na presença de flúor.

    Quando não removemos os restos de alimento por um período maior que 12 horas, as chances da perda mineral não se reverter é maior. E quando o dente perde muito cálcio vai enfraquecendo até romper em cavidade, que é reconhecida como a cárie, mas que, na verdade, foi um processo que começou lá atrás, com uma mancha branca.

    Logo, escovar os dentes não é uma escolha, é uma necessidade. Deve ser um hábito inserido no “pacote básico” de higiene de qualquer criança. Quando os pais internalizam isso, tudo fica menos complicado.

    Se você está encontrando dificuldades com seu filho, há várias alternativas. Tente mudar o tipo de escova e o sabor da pasta de dentes. Procure estimulá-lo escovando seus dentes e usando fio dental na frente dele. Utilize histórias que despertem sua imaginação e curiosidade. Não aja colocando medo: se não escovar seus dentes irão cair, você terá que tomar injeção, etc. Ao contrário: vamos escovar para você ficar ainda mais bonito e saudável!

    Essas e outras pequenas mudanças, somadas à rotina, facilitarão a adaptação da criança. Todo cuidado com a saúde de uma criança é um ato de amor, que será revertido para o bem de toda a família.

    *Alice Sarcinelli é odontopediatra e diretora do Centro Médico Shopping Vitória

    [sharethis-inline-buttons]