O bê-a-bá das gestantes

    Saiba algumas palavras que entram de vez no vocabulário das futuras mamães assim que descobrem que terão um filho

    Saiba algumas palavras que entram de vez no vocabulário das futuras mamães assim que descobrem que terão um filho

    Quem já teve filhos ou está no meio de uma gravidez já sabe: a partir da descoberta da gestação, além de todas as mudanças que ocorrem no corpo e na cabeça da mulher, ela passa a conhecer um mundo completamente novo, que vai desde exames médicos que nunca fez à palavras novas.

    Mecônio, doula, translucência nucal, vérnix, puerpério, tampão, morfológica… Se você sabe o que algumas dessas palavras significam, é sinal de que você está grávida ou já é mãe. Mas a verdade é que a gravidez parece ter um vocabulário próprio e palavras que muitas mulheres nunca tinham ouvido falar, passam a fazer parte do dia a dia.

    E tanta novidade pode deixar algumas mamães de primeira viagem confusas. A jornalista Anna Carolina Passos sabe o que é isso. Assim que descobriu que estava grávida de Valentina, de um ano e meio, se viu diante de muitas expressões diferentes.

    “Todas elas estavam relacionadas ao enxoval da Valentina (rs). Tive que conversar muito com outras mães para tentar decifrar o significado e a diferença de palavras como enxugador e toalha, cueiro e manta, dentre outras que fazem parte do universo infantil”, explica.

    annaAnna Carolina com Valentina no colo. Hoje, ela ajuda a outras mamães de primeira viagem

    A preocupação em não errar era tanta, que Anna Carolina chegou ao ponto de escrever num caderno o significado de cada uma das peças para não se perder. “Mas, felizmente, muito antes da minha pequena nascer eu já estava bem familiarizada com esses ‘termos técnicos’. E o mais engraçado é que hoje em dia sou procurada por outras mães de primeira viagem com as mesmas dúvidas que eu tinha na época”.

    E se a dúvida persistir, principalmente no que se refere a exames e saúde de mãe e filho, não hesite em contar com um médico de confiança. A dica é do ginecologista e obstetra Elvídio dos Santos, presidente da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Espírito Santo (Sogoes), em matéria publicada pelo jornal A Gazeta.

    “A mulher não deve ficar presa à internet, pois ela traz muita informação errada. Tem que perguntar para o médico de confiança e entender que ela vai aprendendo aos poucos. Não tem necessidade de decorar nada”, afirma.

    Veja na tabela alguns termos importantes destacados pelo especialista:

    Fonte: Jornal A Gazeta/Vitória ES, em 23.10.2014, pág 39.

    [sharethis-inline-buttons]