O incoerente amor dos pais

    Aquele momento em que os pais querem muito um "tempinho" de descanso dos pimpolhos, mas não conseguem ficar longe deles <3

    Aconteceu no dia 06 de junho de 2012. O Cauê estava com 1 ano e 8 meses.

    Foi depois de ter dado a atenção que o filhote merece e precisa nos revezamos na tentativa de fazer o gurizinho dormir. O dia havia sido cansativo e ambos, pai e mãe, precisávamos jantar, conversar sobre nosso dia, tomar um bom banho, assistir um pouco de tv, atualizar e-mails, preparar as coisas para o outro dia, quem sabe namorar um pouco… Enfim, precisávamos de um tempo só pra nós dois.

    Nessa noite, queríamos pular a etapa “espalhar os brinquedos pela casa e brincar com o filhote até a hora de dormir”. Alguns mamás depois, cantorias e historinhas, demorou, mas, Ufah, enfim ele dormiu! \o/

    Até aí, tudo próximo da rotina diária, não fosse o fato de percebermos que, lá pela 1h da madrugada, estávamos emocionados em frente ao computador assistindo a vídeos e fotos do filhote.

    – Óóóó cuti, cuti;

    – Como era gordinho!

    – Ahahahahah….

    – Snif, snif, snif…

    Vai entender… Será que Freud explica?

    Ilustração: Miguel Vieira Jr