Pré-natal odontológico: importante para a mãe e também para o filho

    Com tantos compromissos para dar conta, é normal que alguns cuidados sejam esquecidos durante a gestação. E a consulta a um dentista é um deles!

    Visitar o ginecologista todo mês; comprar roupas, sapatinhos, mantas; decorar o quarto do bebê; manter hábitos alimentares saudáveis; etc. Depois da descoberta da gravidez, o mundo da mulher vira de cabeça para baixo! Diante de tantos compromissos para dar conta, é natural que alguns cuidados sejam deixados de lado ou até esquecidos durante os nove meses de espera pelo filho. E a consulta a um dentista é um deles!

    Seja por crenças que são passadas de uma geração para outra; por não ser tratada como prioridade e sempre adiada; ou até mesmo por não se lembrarem dela, a saúde bucal é, na maioria das vezes, colocada em segundo plano dentro dos projetos da futura mamãe.

    Poucas gestantes sabem que visitar o dentista periodicamente é fundamental não só para sua saúde bucal, mas também para o desenvolvimento do bebê. “Isso porque a formação dos dentes do pimpolho começa dentro do útero”, explicou a especialista em Odontopediatria Lilian Citty Sarmento para o Guia da Gestante, da Vitória Editora.

    Assim, segundo ela, manter uma dieta equilibrada (doces e guloseimas em excesso, nem pensar!), rica em vitaminas, cálcio e fósforo é importante para esse processo. Mas ter o acompanhamento de um especialista, também.

    Mas acontece que muitas gestantes não colocam o pré-natal odontológico como prioridade, o que acaba contribuindo para o agravo de problemas bucais e para a precariedade das condições bucais tanto da mãe quanto de suas crianças.

    Para Alice Sarcinelli, odontopediatra e mestre em saúde coletiva, esse afastamento se deve a alguns mitos que são propagados. “Várias gestantes se mostram desinformadas em relação à saúde bucal e isso as leva, muitas vezes, a adotar hábitos nocivos. São mitos e crenças passados ao longo dos tempos por avós, mães e outras grávidas, ainda arraigados em parte da população, que sugerem que as gestantes não podem ser submetidas a tratamento odontológico”.

    Outro mito seria a crença de que a gravidez enfraquece os dentes devido à suposta perda de cálcio para o bebê, o que facilitaria o aparecimento da cárie. Por acreditarem que esse seria um processo natural da gestação, e que o tratamento não iria adiantar, muitas mamães deixam de procurar um dentista.

    No entanto, o cuidado com os dentes vai além da fase da gravidez. A mamãe que visita o dentista e segue suas recomendações, cria um ambiente saudável para o seu pimpolho. “Quanto mais ela souber sobre higiene e hábitos bucais saudáveis, poderá repassar isso aos filhos, que já criarão bons hábitos em relação à saúde bucal desde crianças”, completa Sarcinelli.

    E qual mãe não quer o filho com uma boa dentição, não é?