Será que vai aguar?

    Ô, duvida cruel! Sempre fica aquela sensação de que o bebê vai acabar aguando se não deixarmos ele experimentar de tudo. Será que é assim mesmo? Só lendo pra saber!

    Quando ganhamos um bebê, ganhamos uma página em branco! Os primeiros capítulos da história da vida dele são escritos por nós. E isso antes mesmo da gestação, quando nos preparamos para engravidar.

    Em termos alimentares, nenhum bebê nasce querendo mamar um “fast-food”, tomar sorvete ou refrigerante. Não! Ele nasce desejando e necessitando mamar em sua mãe, ser alimentado por ela, receber o melhor e mais completo alimento do mundo.

    Nos primeiros meses parece ser até um pouco mais tranquilo segurar a galera que insiste em dizer que o bebê vai “aguar” se não comer isso ou aquilo. Mas, assim que ele começa a interagir um pouquinho, surgem os “palpiteiros” de plantão. E é aí que começamos a perder o jogo: um dedinho lambuzado de Milk Shake na boquinha, coca-cola na mamadeira, biscoito recheado bem picadinho (acreditem, já vi tudo isso acontecer).

    Sei que ninguém faz isso desejando mal à criança, e sim porque muitos têm a sensação de que o que nos faz falta também faz falta ao bebê. Sou mãe como vocês e sei que na teoria tudo parece mais fácil, mas tenho aprendido com meus filhos e com meus pacientes que, com bom senso e equilíbrio, podemos conversar com nossa família a esse respeito, informando nossa maneira de pensar e o que desejamos para a saúde de nossos pimpolhos!

    Vale a pena fazer um esforço para que ele receba uma alimentação o mais saudável possível, principalmente nos primeiros 2 anos de vida, porque é nessa época que os hábitos alimentares são formados!

    Reflita, converse com as pessoas mais próximas e… Seja um exemplo!

    Texto publicado também na Fanpage da autora.