Filhos na escola: sem pânico com os piolhos

    Coça, coça, coça… Hummm! Será que tem piolho?!

    Uma das preocupações mais comuns após a volta às aulas é a infestação de piolhos. Mas por que esse bichinho tão pequeno (que mede cerca de 3 milímetros e vive em média 40 dias) causa tanta inquietação? É que, além de provocar uma coceira intensa, a pediculose – doença provocada pelo animal – pode causar uma infecção capaz de comprometer o aprendizado e a saúde da criança se não for combatida de modo adequado.

    O piolho é um inseto que vive nos cabelos e se alimenta de sangue humano. E a infestação é rápida. Uma fêmea pode colocar 10 ovos por dia, as chamadas lêndeas. Por isso é praticamente impossível encontrar uma escola ou creche em que não haja infestação. Dados da Fiocruz apontam que entre 30 e 40% das crianças têm piolhos.

    A lêndea é o ovinho do piolho

    Transmissão

    Como não voa nem pula, a transmissão do bicho é feita por contato direto: cabelo com cabelo, uso coletivo de acessórios como bonés, pentes, escovas de cabelo e presilhas. Dessa forma, a primeira dica é orientar os filhos a não dividirem esses objetos com os colegas.

    Tratamento

    Mas, como tratar a pediculose? Lavar a cabeça todos os dias adianta? Não. Isso porque o velho mito de que piolho é coisa de gente ‘suja’ já caiu por terra há muito tempo. O inseto gosta de cabelos limpos e sua infestação não está ligada aos hábitos de higiene. É claro que eles ajudam, pois o controle é a melhor forma de combate, porém, não é suficiente.

    Então, qual a melhor solução? Raspar a careca? Calma, não precisa tanto. A resposta certa é ter paciência, já que a maneira mais eficaz de acabar com o bichinho é a manual: catar as lêndeas e retirar os adultos com o pente fino.

    Uma forma de facilitar essa cata é usar shampoos próprios antes de pentear os fios. Existem alguns remédios, mas eles combatem apenas o piolho adulto e apenas crianças acima de dois anos podem fazer ingestão dos mesmos.

    Pente fino neles! Use condicionador para facilitar a passagem entre os fios

    Assim, uma boa dica é fazer uma solução com água e vinagre (veja sugestão abaixo). E não, não é mito. A mistura não mata o animal, é verdade, mas, além de deixá-los tontos, ela enfraquece a colinha que segura o ovinho preso aos fios, facilitando a retirada e a captura.

    Outra dica importante está no coletivo. O tratamento deve abranger todas as pessoas que convivem no mesmo espaço que a criança, ou seja, toda a família. Também é importante informar à escola que seu pimpolho está infestado. É essencial que os outros pais também fiquem atentos e tomem medidas de prevenção.

    Curiosidade: O piolho é mais velho do que se imagina! Amostras do animal já foram encontradas em múmias egípcias de mais de três mil anos. E a pediculose é mencionada até em textos da Bíblia.

    Dicas para acabar com os piolhos

    1 – Coloque em um copo uma parte de vinagre para duas de água
    2 – Espalhe a substância no cabelo
    3 – Enrole os fios com uma toalha e abafe por meia hora
    4 – Lave o cabelo com xampu antipiolho* e condicionador, para desembaraçar
    5 – Seque o cabelo com secador quente
    6 – Faça a catação com um pente fino
    7 – Quando retirar os piolhos e as lêndeas, jogue-os em um recipiente com vinagre

    *Fontes:

    Fantástico: veja matéria aqui!

    G1 (Bem Estar): leia aqui!

    Educar para crescer: leia aqui!

    *Fotos: Photl.com e Gilles San Martin